O perigo de instalar programas e jogos pirateados

Criado: 2 de Junho, 2019 Tecnologia

Vamos falar de programas pirateados e dos riscos que os mesmos implicam.
Os programas pirateados mais comuns que instalamos no Windows são o Office, Photoshop, Premiere, jogos, etc. Estes programas requerem uma licença para serem utilizados e ao serem crackados estamos a “fintar” a validação desta licença usando assim o programa como se tivesse sido obtido legalmente.

Como são crackados os programas?

Quem faz isto e depois disponibiliza estes programas são programadores. Ao contrário do que se pensa não são hackers mas sim pessoas que estudam linguagens de programação e têm conhecimentos necessários para fazer isto.
Nos últimos anos a segurança evoluiu bastante mas podemos resumir o processo no seguinte:

O programador vai depurar o código do programa (ou seja, “linha a linha” vai andando desde a primeira execução do código) até encontrar a função que valida a autenticação do programa. Assim, ele sabe o ponto onde a validação é efectuada e altera essa função para que a validação seja sempre validada com sucesso.
Depois escreve um crack que é outro programa que vai alterar o programa que queres instalar para que a validação tenha sucesso.
Outras técnicas existem, como quando a validação é realizada com um servidor remoto (ex: faz um pedido ao https://microsoft.com/validar-chave) e é criada uma proxy para redireccionar esse pedido a um servidor local que vai validar sempre com sucesso a chave.

Porque são crackados os programas e porque não devemos confiar?

Este é a razão pela qual escrevo este artigo.
Muitos heróis fazem isto não por rebeldia mas porque têm noção do capitalismo nojento que existe nesta área e dedicam dias, semanas ou até meses até conseguirem crackar um programa. Conseguindo isto muitas vezes apenas deixam a sua assinatura e divulgam o crack. O problema está nos que vêm aqui uma oportunidade.

Vamos chamar-lhes de mal intencionados. Estes programadores divulgam o crack gratuítamente para terem algum ganho contigo.
Há alguns anos nas pioires das situações podías ser infectado com um vírus que te afectasse o sistema operativo. Agora são mais espertos e podem inclusive pedir um ransomware para te “limparem” o sistema operativo. Mas isto não é o pior.

O pior é quando eles usam o teu computador para benefício próprio, como:

  • Injectar publicidade nos sites que visitas
  • Usar os recursos do hardware para minerar criptomomedas
  • Alugar o teu computador para ser acedido remotamente por outras pessoas (ex: sobre forma de VPN) e assim fazerem operações ilegais usando a tua identidade (o teu IP é que fica relacionado com o crime)
  • Roubar informação. Podem escrever código que procure documentos sensíveis como dados bancários, acessos a carteiras de criptomoedas, etc.

Nestes casos tu não tens conhecimento porque não te afectam a utilização do sistema operativo, mas têm benefícios à mesma.

Então como posso confiar num crack?

A minha resposta começa sempre por te incentivar a utilizar programas de código aberto.
São programas desenvolvidos por programadores que não têm como objectivo enriquecer com o programa, ou mesmo que o tenham, não precisas de pagar licenças e por norma deixam outras pessoas usarem o programa livremente e até alterá-lo para lucrar (depende das licenças aplicadas claro).
Dito isto, Linux é brutal! Mas como deves querer manter-te no Windows e usar programas crackados não é a resposta ideal.

Algumas dicas que podes seguir para te manteres mais seguro:

  • Faz downloads de sítios conhecidos (como trackers famosos) e presta muita atenção não só aos comentários mas a quem enviou o programa para ser descarregado. Evita contas recentes, quase sempre quando uma pessoa ou um grupo se dedica a isto eles querem reputação e procuram mantê-la usando a mesma identidade e acumularem um histórico. Espera uns dias se o download for recente para que seja analisado por bons feitores que se dedicam a isso.
  • Antes de fazeres o scan a vírus, envia-o para sites que o fazem usando vários anti vírus como o total virus (TODO: meter link).
  • Aprende a usar o Google para procurar ficheiros semelhantes através da assinatura dele. Assim consegues encontrar mais revisões e críticas do crack que estás a instalar.
  • Instala uma máquina virtual e nela instala o programa com o crack. Através de outros programas podes analisar a entrada e saída de tráfico e assim veres se alguma ligação é suspeita. Analisa também os ficheiros alterados/adicionados após instalares o crack, podes descubrir que o crack tenta infectar outros ficheiros para se prograpagar mesmo quando apagues o programa.

Onde posso descarregar cracks com confiança?

Eu não vou divulgar aqui mas pesquisa no Google por sites de confiança de ondes podes descarregar cracks.
Evita sites que apenas os divulguém sem permtirem comentários ou incentivarem uma discussão. Procura fóruns e comunidades dedicadas a isso e não te fiques pelos primeiros resultados que aparecem na Google! Eu digo para pesquisares na Google porque é o que provavelmente usas, mas dá uma vista de olhos no DuckDuckGo. Pode ser uma mudança importante nos teus hábitos de utilizar a Internet 🙂

Nota: O conteúdo deste blog é exclusivamente para ajudar e partilhar conhecimentos.
Qualquer erro que seja detetado por ti, por favor, avisa-me. Quanto melhor for o conteúdo, melhor para todos nós.

Partilhar este artigo